Má postura ao estudar atrapalha qualidade do estudo

Tempo de leitura: 2 minutos

O cuidado com a postura durante o estudo evita o cansaço físico, a dor postural e a má circulação.

Estudar sentado em uma cadeira regulável, em frente a uma mesa com altura compatível e manter uma postura ereta são fatores que influenciam diretamente a qualidade do estudo, segundo a fisioterapeuta e especialista em ergonomia Estela Fagundes.
O cuidado com a postura durante o estudo evita o cansaço físico, a dor postural e a má circulação. Com menor desgaste do corpo, a concentração do estudante melhora, explica Estela.
“Alguns estudos mostram que boa parte dos estudantes acaba lendo ou escrevendo com a cabeça apoiada na mão, com o tronco para frente. Nessa postura, há um maior gasto energético do corpo e promove mais dores. Se o estudante está numa posição desconfortável, ele acaba se mexendo mais vezes e vai perdendo a concentração”,  destaca a fisioterapeuta.
“Estudante é uma espécie de profissão. Logo, ele deve levar a sério a produtividade e qualidade do período de estudos como se fosse um trabalho real”, afirma Fernanda Belisário, 47, consultora em organização pessoal.
 Dicas:
• Procure ter uma cadeira ajustável, na qual você possa manter os pés apoiados no chão. Caso não seja possível, utilize algum objeto (caixas, livros) para apoiar os pés;
• Mantenha tronco encostado na cadeira;
• Os cotovelos devem estar apoiados sobre a mesa num ângulo reto;
• O teclado e monitor devem ficar em frente ao estudante.
• A altura do monitor deve estar alinhada à altura dos olhos. Se estiver acima gera cansaço e se estiver muito baixa há um desgaste no pescoço;
• A distância entre o estudante e o monitor deve ser mais ou menos igual a um braço de distância;
• Uma boa iluminação é essencial. “Uma luz fraca força a visão e a musculatura do rosto. Isso acaba resultando em um cansaço mental maior e mais sono”, destaca Estela;
• Afaste objetos que causam distrações, como celular, tablet, entre outros;
• Procure estudar num lugar tranquilo onde não exista grande circulação de pessoas dentro de casa, como a cozinha, por exemplo. “Se a casa não tem nenhum minuto de tranquilidade é melhor ir para uma biblioteca”, sugere Fernanda;
• Faça pausas programadas de 5 a 10 minutos para “refrescar” o cérebro e o corpo.  
Fonte: Uol

Diprofisio
www.diprofisio.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *