Como acabar com a retenção de líquidos

Tempo de leitura: 2 minutos

Muitas pessoas sofrem com a retenção hídrica (Retenção de líquidos) e o corpo inchado e dolorido são características desse problema. Além de transformar as curvas do corpo, ele influencia e muito no momento de subir na balança. 

Esta retenção, que atinge mais significativamente as mulheres por conta das alterações hormonais, pode causar um aumento, em média, de até 3 kg no peso total.

Dependendo do grau de edemas, alguns recurso com diuréticos podem ser indicados sob prescrição médica. Não há remédio para o inchaço que garanta melhores resultados do que os fornecidos por uma dieta equilibrada e o auxílio da drenagem linfática.

Um dos fatores que pode aumentar esse acúmulo de líquidos é a ingestão exagerada de sódio. Os embutidos e alimentos industrializados contém um alto índice deste elemento e por isso devem ser evitados. Bebidas alcoólicas e sucos que não sejam naturais causam o mesmo efeito.

O ideal é incluir na dieta alimentos ricos em potássio e chás diuréticos, como hibisco e chá verde. Beber água, de 2 a 3 litros por dia, permite o melhor funcionamento dos rins, o que diminui a sensação de inchaço.

Um complemento valioso para esta desintoxicação é utilizar a drenagem linfática como um recurso de eliminação de líquidos estagnados.

O uso da vacuoterapia na retenção de líquidos aumenta a eficácia dos resultados por trabalhar com uma massagem mecânica vigorosa através da pressão negativa.

A Consultora Científica da HTM, Aline Marques, diz que “este método permite a melhora da função linfática, melhorando o aporte sanguíneo e contribuindo com o tecido como um todo”.

Os equipamentos Beauty Dermo e Dermo Crystal são plataformas de vacuoterapia para uso estético que permitem a realização da depressodrenagem linfática no tratamento da retenção de líquidos.  Esta técnica proporciona o aumento do aporte circulatório, favorecendo as trocas gasosas, melhorando o retorno venoso e aumentando a maleabilidade tecidual.

São recomendadas, em média, 5 a 10 sessões, mas este número pode variar conforme quadro clínico e evolução de cada paciente.

 

Fonte: HTM Eletrônica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *